Futsal

Futsal | Fundação Salesianos – Atlético, 2-13

Não há fome que não dê em fartura. O Atlético deslocou-se à Escola Salesiana do Estoril e aplicou a maior goleada do campeonato até ao momento, tentando desde o primeiro minuto facturar, demonstrando respeito pelo seu adversário, mas objectivo.

Aos sete minutos já o Atlético vencia por 4-0, e esteve sempre mais perto a turma alcantarense de fazer mais um golo do que os jovens salesianos de reduzirem. Rúben Simões foi o elemento de destaque na partida, com seis assistências e quatro golos. Esteve envolvido em onze dos treze golos do Atlético, numa tarde onde tudo lhe correu bem.

Puxando o filme atrás, o conjunto orientado por Carlos Matos abriu o activo logo aos três minutos, por Xulé. O mesmo jogador viria a bisar aos cinco minutos. No minuto seguinte seria Vu a fazer o 3-0. E aos sete era Rodas a concretizar. Os quatro primeiros golos tiveram assistências de Rúben Simões, que faria o seu primeiro golo aos 12′, a passe de Chica. Aos 16 seria Rogério Pancas, num lançamento de baliza, a assistir Chica para o 6-0.

Com o jogo completamente controlado, Carlos Matos decide colocar a juventude em campo, lançando em simultâneo três atletas que começaram a época na equipa de juniores: Pedro Baioneta, Bruno Mendes e Jojó. Os “miúdos” deram boa conta de si, embora tenham sido demasiado perdulários nos últimos 10 metros do campo.

Os Salesianos viveriam o seu melhor período entre o final da primeira parte e o início da segunda, momento do jogo onde conseguiram sacudir alguma da pressão a que foram sujeitos e aproveitariam dois erros individuais que resultaram em golo para a equipa da casa.

Com 6-2 no marcador, Carlos Matos pede um desconto de tempo e o Atlético volta à carga. Bruno Mendes assiste Rúben Simões para 0 7-2 aos 39′. Depois, em seis minutos acontecem cinco golos para o Atlético. Aos 46′, quase a meio campo, Fabinho bate um livre em jeito e eleva para 8-2. Aos 47′ Rúben Simões faz o seu terceiro golo a passe de Pedro Baioneta. No minuto seguinte Xulé completa o seu «hat-trick» após nova assistência de Rúben Simões.

O Fixo do Atlético completaria o «poker» aos 49 minutos, em jogada individual. E aos 52′ faria a sua sexta assistência na partida, oferecendo o golo a Fabinho.

O último golo da partida (ufa!) viria a um minuto do fim, por intermédio de Chica, após jogada de insistência.

O Atlético aplica nova goleada após o 7-1 ao Pregança na jornada anterior, e daqui a quinze dias, a 3 de Fevereiro, recebe o Casal do Rato.

– – –

PONTOS POSITIVOS
Rúben Simões foi o Carroceiro à solta, qual personificação do diabo da tasmânia, que varreu o pavilhão da Escola Salesiana do Estoril. O Fixo foi o homem do jogo, envolvido em onze dos treze golos, contando seis assistências e quatro concretizações. Carlos Matos estreou mais um jogador oriundo da formação na equipa sénior, e mostrou confiança nos “miudos” tendo dois sub-20 e um júnior em simultâneo durante largos minutos em campo. Xulé e Chica, dois “reforços de inverno”, voltaram a picar o ponto. A atitude da equipa durante toda a partida, procurando o golo, procurando sempre imprimir velocidade à partida.

PONTOS NEGATIVOS
Pouco há a apontar, excepção feita aos dois golos sofridos, que nascem de erros individuais, mas que também têm mérito por parte do adversário.

– – –

FUNDAÇÃO SALESIANOS – ATLÉTICO CP, 2-13
21 de Janeiro de 2018, às 18:30H.
Pavilhão da Escola Salesiana do Estoril.
I Divisão AF Lisboa
Ao intervalo: 1-6
Marcha do marcador: 0-1; 0-2; 0-3; 0-4; 0-5; 0-6; 1-6; 2-6; 2-7; 2-8; 2-9; 2-10; 2-11; 2-12.
Marcadores: Xulé (3′, 5′ e 48′), Vu (6′), Rodas (7′), Rúben Simões (12′, 39′, 47′ e 49′), Xica (16′ e 59′) e Fabinho (46′ e 52′).

ATLÉTICO – Rogério Pancas, Rúben Simões, Vu (C), Chica e Xulé.
Jogaram ainda – Rodas, Jojó, Bruno Mendes, Fabinho, Codé e Pedro Baioneta.
Suplentes não utilizados – n/a.
Treinador – Carlos Matos.

Disciplina – Cartão amarelo para Chica (35′).

Comentários