Futebol

Futebol | Atlético-Estoril, 1-1

Empate justo mas equipa da Tapadinha pode queixar-se de má sorte.
Atlético e Estoril Praia proporcionaram, domingo, na Tapadinha, um espectáculo agradável, apesar do mau estado do relvado e dividiram os pontos de forma justa, pois ambas as equipas dominaram o adversário em algumas partes da partida. No entanto, o Atlético pode queixar-se do azar pois enviou por duas vezes a bola ao poste e sofreu um golo caricato.

Os locais entraram a pressionar e, logo aos cinco minutos, Quim Zé cabeceou ao poste. Na jogada seguinte, Diogo rematou com efeito, de fora da grande área, a bola ia na direcção de Carlos Pereira mas bateu no relvado e mudou de rumo, enganando o guardião. Até o marcador do golo se riu. O resto da primeira parte foi equilibrada.

O início do segundo tempo foi uma repetição do primeiro, mas desta vez com golo para os de Alcântara: Amaral cabeceou à trave e Santiago, sozinho, só precisou de empurrar. Após o empatem, os da casa carregaram ainda mais mas o Estoril foi sacudindo e voltou o equilíbrio. Aos 75 minutos, Santiago rematou ao poste, mas a última oportunidade de golo foi dos visitantes quando Paulo Sérgio (86) fugiu, em posição legal, e tentou fintar Carlos Pereira apenas com o corpo, mas o experiente guarda-redes roubou-lhe a bola.

Técnicos
Bastos Lopes (treinador do Atlético): “É um empate que sabe a pouco. O Estoril é um adversário de respeito mas o Atlético dominou, teve mais ocasiões e justificava a obtenção dos três pontos.”

José Rachão (treinador do Estoril Praia): “Bom jogo com as duas equipas a procurarem a vitória até ao final. Qualquer um podia ter vencido o jogo, mas o empate acaba por se aceitar.”

Texto: Record.

Comentários